Últimas Notícias
recent

Postura de líder do País

Como todos sabem, eu acho, não sou muito de falar em política, nem tão pouco fazer política. Nas eleições eu votei na Marina Silva, pois ela demonstrou um interesse, como sempre, em conscientizar as pessoas ao que está acontecendo com o meio ambiente. Apesar de ter sido bem votada, não conseguiu alcançar o seu objetivo, mas enfim, nem tudo está perdido.

Mas falando o que realmente vim escrever no meu blog, e repetindo, não estou fazendo política, estou relatando o que aconteceu. Assistindo ao Jornal da Globo, desta quinta-feira (21/10) vi uma reportagem falando sobre o incidente envolvendo o candidato do PSDB à presidência, José Serra, em que ele foi atingido na cabeça por uma possível pedra, ou algo parecido, por um militante do PT, cujo a sua adversário, Dilma Roussef é candidata à presidência do partido. Apesar do blá blá blá que ocorreu depois disso, e que o José Serra utilizou disso para mostrar no seu "horário político". o Nosso presidente da repúblico, Luiz Inácio Lula da Silva resolver entrar nessa briga, já não basta ficar pedindo voto para a 'pupila'.

Que, particularmente, foi um erro. Pois um líder, um presidente da república, de um país que é o Brasil, não deveria se portar desta maneira. Na reportagem ele deu uma entrevista, em uma coletiva onde ele estava, falando a respeito desse acontecido. E, segundo a reportagem, o presidente falou que:

"Venderam o dia inteiro que esse homem tinha sido agredido. Uma mentira mais grave do que a mentira daquele goleiro Rojas, do Chile, que no Maracanã caiu e fingiu que um foguete tinha machucado ele. Ou seja, primeiro bateu uma bola de papel na cabeça do candidato. Ele nem deu toque para a bola, porque ele olhou pro chão e continuou andando. Vinte minutos depois, esse cidadão recebe um telefonema e, a partir do telefonema, ele bota a mão na cabeça e vai ser atendido por um médico que foi secretário da Saúde do governo do prefeito César Maia, no Rio de Janeiro, e foi o diretor do INCA quando o serra foi ministro da Saúde", diz Lula.

Falar que o adversário da sua 'pupila' inventou uma coisa dessa, é muita falta de ética. 1° Ele é o Presidente da República Federativa do Brasil a postura dele não teria que ser essa, ou ele ficava calado, ou pedia para os seus assessores investigaram de um jeito mais justo. Pois na reportagem um perito, Ricardo Molina, um dos mais conceituados, falou que teve dois momentos em que o José Serra foi atingido na cabeça, primeiro pela bolinha de papel, depois por um objeto que ocasionou o incomodo.

“Vem a bolinha e quica, quase como se fosse uma bolinha de ping-pong. O importante aqui é seguinte: primeiro, que ele não esboça reação nenhuma. Ele continua da mesma forma. O impacto é no alto da cabeça. Tem um objeto, obviamente um objeto redondo parecido, talvez com uma circunferência um pouco menor, mas uma fita larga. Essas fitas têm um interior rígido e qualquer um que bater isso aqui na cabeça vai ver que dói mesmo. São dois eventos completamente separados.”, diz o perito.

Se foi atingido ou foi armação, o presidente não teria que ter essa postura. Não votei nele nas duas vezes em que ele se candidatou, e não vou votar na sua 'pupila', porque ele quer. Tenho consciência do meu voto, e prefiro votar no que está correto.
João Alves

João Alves

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.