Últimas Notícias
recent

World Wide Web completa 25 anos

A Internet como conhecemos atualmente não surgiu da noite para o dia. A história da “World Wide Web” ou simplesmente Web, começou há 25 anos e mudou a forma como as pessoas vivem e se relacionam online. Para comemorar a data, relembre os acontecimentos que marcaram a evolução dessa rede.


1989-1992: o início de tudo

Em 12 de março de 1989, Tim Berners-Lee escreveu e divulgou no interior da Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear (CERN), o seu projeto inicial do que viria a ser a World Wide Web (WWW), intitulado “proposta de gestão da informação”. O projeto foi baseado no conceito de hipertexto para facilitar o compartilhamento e a atualização de informações apenas entre os pesquisadores do CERN.

Em 1990, o primeiro servidor web e website da rede já estavam online, sendo hospedados no computador NeXT de Tim Berners-Lee. No ano seguinte, é liberado para o público o primeiro navegador e editor, WorldWideWeb (rebatizado mais tarde para Nexus), por meio de grupos de notícias da Internet. Ainda em 1991, Linus Torvalds cria o Linux, que eventualmente, se tornaria o sistema operacional padrão da maioria dos servidores web em todo o mundo.



1993: surgem outros navegadores


Em 1993, o CERN disponibilizou sua tecnologia web em uma base livre de royalties e o Centro Nacional de Aplicações de Supercomputação (NCSA) liberou versões do navegador Mosaic para Windows e Macintosh. O programa foi um dos primeiros navegadores com uma interface intuitiva que exibia texto e imagens online. Por causa da sua disponibilidade em sistemas operacionais populares, o Mosaic levou o acesso a web para aqueles que viviam fora da área de ciência da computação.



Desenvolvido por Marc Andreessen, o Mosaic serviu de plataforma para outro navegador. Ele foi lançado no ano seguinte como Mosaic Netscape e, posteriormente foi rebatizado com o nome de Netscape Navigator. Em seu auge, tornou-se o navegador padrão de mais de 90% dos usuários da época.

1994: pessoas, governos e empresas começam a entrar na web

O ano de 1994 foi marcado pelo inicio da adesão em massa da web. A Beverly Hills Internet (BHI) iniciou o Geocities, o que permitiu que os usuários criassem seus próprios sites modelados como se fossem áreas urbanas.



A Casa Branca lançou o “www.whitehouse.gov”. Porém, quando alguns usuários digitavam o endereço colocando a terminação “.com” encontravam um site pornográfico. Neste mesmo ano, seguindo o Estados Unidos, a China entra na Internet mas filtra seus conteúdos, barreira que ainda existe online.

Na iniciativa privada, nasce a livraria online Amazon. Jerry Yang e David Filo criam um website que apresenta um diretório de outros sites, organizados em uma hierarquia ou camadas de subcategorias. O nome oficial do site era “Jerry’s Guide to the World Wide Web” (o guia de Jerry para a WWW), mas logo teve seu nome mudado para o famoso nome que conhecemos hoje: “Yahoo!”.

É lançado o WebCrawler, o primeiro motor de busca da Web. O serviço fornecia pesquisa de texto completa, mas ainda haviam poucas informações. No lançamento, o banco de dados do serviço continha páginas de pouco mais de quatro mil sites. No mesmo ano é fundada a W3C, a organização torna-se o órgão oficial para a gestão da Internet e padrões da web como HTML e CSS, em todo o mundo.

1995-1999: novas tecnologias, serviços e a guerra dos navegadores

No ano que em que foi feita a primeira conexão de Internet na África, a Oracle lançou o Java e logo a capacidade de executar applets Java da linguagem foi incorporada nos principais navegadores. Isso dá inicio a primeira onda de “Rich Internet Applications” (RIA), aplicações que possuem algumas características e funcionalidades dos recursos tradicionais dos computadores desktop.

No mesmo ano, o Netscape Navigator 2.0 foi lançado com uma linguagem embutida chamada LiveScript, que posteriormente seria renomeada para JavaScript. Enquanto isso, o WikiWikiWeb se torna o primeiro wiki ou web site editável pelo usuário e a "Amazon.com" se auto intitula publicamente a “maior livraria do mundo”, com mais de um milhão de títulos diferentes. Nesta mesma época, o eBay começa suas vendas online.

Ainda em 1995, a Microsoft lança o Internet Explorer, iniciando a “guerra de navegadores”, que terminaria praticamente liquidando o Netscape nos anos seguintes, principalmente, depois que o navegador passou a ser embutido no sistema operacional da empresa, o Windows, hoje na versão Windows 8.1.



Em 1996, a Macromedia compra a FutureWave e com isso o FutureSplash Animator se torna Macromedia Flash 1.0, a base do que se tornará o conhecido hoje como Adobe Flash, em 2005.

Entre 1996 e 1997, a W3C lança a recomendação CSS nível 1 e também publica sua primeira recomendação para o HTML, HTML 3.2. Com o lançamento do "SixDegrees.com" em 1997, surge uma das primeiras tentativas moderadamente bem sucedidas de uma rede social moderna, que permitia aos usuários criar perfis e lista de amigos.

No ano de 1998, a Netscape inicia o renascimento de seu navegador, com o projeto de código aberto Mozilla, que anos mais tarde será a base do Mozilla Firefox. Na tentativa de adaptar a web para os poucos dispositivos móveis com acesso a Internet, o Fórum WAP lança a versão 1.0 do Wireless Application Protocol, um padrão considerado desajeitado e limitado. Larry Page e Sergey Brin fundam o Google.

O ano de 1999 foi marcado pelo lançamento do serviço de compartilhamento de arquivos peer-to-peer (P2P), Napster. Em agosto do mesmo ano foi lançado o Blogger, uma das primeiras ferramentas de publicação voltada para blogs. Ainda no mesmo ano foi lançado o serviços de transações online PayPal.

2000-2002: PayPal em ascensão, bolha das .com, Deep Web e outros

O inicio do novo século foi bom para o PayPal que atingiu uma enorme fatia de leilões no eBay, mais exatamente cerca de 70% de todos os leilões no site. Em contrapartida, no mesmo ano a bolha das ".com" atingiu o seu pico e prontamente explodiu, limpando bilhões de dólares do valor de empresas de tecnologia nos 18 meses seguintes.

Em 2001, Mike Bergman emprega o termo Deep Web para descrever o conteúdo da web que não é indexado pelos motores de busca padrões. Isso porque porque eles são gerados dinamicamente a partir de consultas, são desvinculados ou só podem ser acessados por meio de um onion router como Tor Browser. Jimmy Wales e Larry Sanger lançam a Wikipédia, que em pouco tempo iria se tornar a maior enciclopédia online. Infelizmente para os fãs de músicas, foi o ano da queda do Napster.

Com a chegada do Friendster em 2002, surge uma das primeiras redes sociais, que rapidamente atrai milhões de usuários, bem como a atenção da mídia.

Em 2003, para completar o sucesso do iPod, a Apple lança loja de música iTunes, com o suporte ao Windows sendo lançado ainda em outubro do mesmo ano. Nesse ano, Matt Mullenweg e Mike Little lançaram o WordPress, criando a base de uma das ferramentas mais usadas por blogueiros atualmente. Também foram lançados nesse ano o mundo virtual Second Life e o Skype.

2004-2006: o inicio de uma nova Web

Nasce o Flickr, um dos bastiões do que viria a ser a chamada de web 2.0. O Digg inicia suas operações, atuando como um agregador de notícias sociais que permite aos usuários descobrir, compartilhar e recomendar conteúdo da web. Surge o "TheFacebook.com", a rede social para estudantes de Harvard que iria conquistar o mundo e se chamar apenas Facebook. Na área dos navegadores, o Firefox 1.0 é liberado e “lentamente” começa a tomar de volta o espaço conquistado pelo Internet Explorer.



Em 2005, o termo “Web 2.0″ começa a ser usado para descrever a mudança na direção do conteúdo da web. Antes, o sentido sempre partia dos sites para os usuários e agora é gerado pelos usuários para os sites. Seguindo essa tendência, surge o site de compartilhamento de vídeos, YouTube. A internet já alcança bilhões de usuários.

O ano de 2006 é marcado pela Amazon, que lança o Cloud Storage e Serving via S3 e EC2, criando uma alternativa muito mais rápida e barata do que os tradicionais servidores web, para startups escalarem seus negócios.

Nesse ano também é lançado o serviço de microblog Twitter, que rapidamente ganha popularidade com a web móvel e recebe um grande impulso no ano seguinte, graças à Apple e seu iPhone. Finalizando o ano, o Facebook começa a permitir que qualquer pessoa com um endereço de e-mail válido possa criar uma conta e entrar na rede.

2007: começa definitivamente a era da Internet móvel

O ponto alto de 2007 foi o lançamento do iPhone, que pela primeira vez trouxe uma experiência de navegação completa para o celular. Desde então, a navegação móvel explodiu em milhões de smartphones e tablets com iOS e Android (Google).

2008: surge o HTML5, a moeda virtual, a loja de apps da Apple e o Chrome

O projeto inicial de HTML5 é introduzido, gerando boas expectativas quanto aos novos rumos da web. No mesmo ano a moeda Bitcoin é introduzida pela primeira vez por um desenvolvedor usando o pseudônimo de “Satoshi Nakamoto”.

A Apple lança a loja App Store e inicia o sucesso dos apps mobile. Depois de eliminar entradas duplicadas, o Google conta um trilhão de URLs únicas, ao mesmo tempo em que lança o navegador Google Chrome .

2012: Facebook cresce ainda mais

A rede social Facebook supera um bilhão de usuários e a empresa compra o Instagram por US$ 1 bilhão. A Nasa registra no aplicativo Foursquare a localização do robô Curiosity no planeta Marte.

2013: cai a Silk Road e os programas de vigilância em massa da NSA

A "Deep Web" ganha exposição na mídia depois que o FBI encerra a Silk Road (Rota da Seda), também conhecida como “o eBay de drogas” e prende seu fundador. No outro lado da web, as divulgações de Edward Snowden sobre programas de vigilância em massa da NSA dão inicio a questionamentos sobre o que significa ser anônimo na web.

2014: Facebook de olho nos dispositivos móveis

Apostando alto nos dispositivos móveis, o Facebook compra o aplicativo de mensagens via celular, o WhatsApp, por US$ 16 bilhões.

É isso, muita coisa aconteceu e ainda está acontecendo. E mesmo depois de 25 anos a web ainda está mudando o mundo. A rede já foi usada para organizar manifestações, denunciar injustiças e agitar governos.



Mas, como o próprio fundador da web denuncia, existe o risco da Internet perder um dos grandes pilares que ajudaram a tornar-se um grande sucesso: o fato de ser aberta, acessível a todos e livre. Para evitar isso, ele propõe limites para empresas e governos na gestão da grande rede; acompanhe.

Para celebrar os 25 anos da web, foi criado ainda o site “Web at 25″ (webat25.org) que serve como um marco nessa sua luta. Berners-Lee publicou uma mensagem em vídeo neste site, em que conta um pouco da sua trajetória e questiona alguns pontos importantes do futuro da grande rede.

“Como tornamos a Internet mais segura para proteger nossas informações? Como ela pode melhorar para educação, comércio, entretenimento? Como criamos uma web que seja acessível para todos? Em 2014, duas organizações próximas a mim irão criar atividades que vocês podem participar para buscar estas respostas”, convidou.

FONTE: TechTudo
João Alves

João Alves

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.