Últimas Notícias
recent

O Salto do Tangará

Por causa de caravanas que traziam famílias do Paraná, São Paulo e Minas surgiu a cidade de Tangará da Serra.
Tangará da Serra, como outras cidades da região, viveu alguns ciclos importantes da economia nacional, e a lavoura cafeeira teve sua importância no seu desenvolvimento, além do milho, arroz e depois da soja. A cidade preza-se por ter sua trajetória traçada por homens que souberam valorizar sua terra e sua gente, não esquecendo jamais os valores humanos e sem deixar de contar sempre com a disposição de seus moradores.

O Município de Tangará da Serra, no exuberante divisor das águas das bacias Amazônica e do Prata, originou-se em 1959, emergente do antigo povoado surgido pelo loteamento das glebas Santa Fé, Esmeralda e Juntinho, localizadas no município de Barra do Bugres.

Inspirados pelo canto macio, cheio, vivo e sonoro do pássaro Tangará (uma das aves brasileiras mais famosas) foi que os primeiros visitantes da região aliaram o nome do gracioso pássaro à majestosa Serra de Itapirapuã e batizaram a localidade como Tangará da Serra. Em 1878, Pedro Torquato Leite e sua família, vindos de Cuiabá, fixaram-se junto à barra do Rio Bugres. Ali começou a explorar economicamente uma variedade de planta por nome poaia, cujas raízes possuem alto valor medicinal.

Em 1965, cinco anos após ter iniciado a colonização, havia em Tangará da Serra cerca de 3.000 habitantes, sendo 1.000 na área urbana e 2.000 na zona rural. O traçado da cidade já era fato e a Avenida Brasil estava em parte locada. Como era bem larga e plana, servia como pista de pouso para pequenas aeronaves.

O município possui muitos pontos turísticos, veja alguns deles: Salto das Nuvens; Mirante da Serra; Pesqueiro Piracema; Salto Maciel; Rio Sepotuba; Rio Formoso; Rio Queima-pé; Córrego Estaca; Balneário Biquinha; Rio Ararão; Rio Juba; Córrego Mina Azul.

TURISMO – Salto das Nuvens

O Salto das nuvens começa a dar sinal de sua existência pelo barulho das águas. Quase imperceptível no meio da vegetação, uma passarela de madeira leva a um balneário com bar, restaurante e uma praia. Tudo isso planejado. As casas do local passam até despercebidas ao Turista, pois as coberturas de telha romana ficam praticamente no mesmo nível do acesso à margem do Rio Sepotuba. É como se as casas se escondessem na mata.

Terminada á desdida, mas alguns metros, lá está o Salto das Nuvens. Águas caem de uma altura de 30 metros por 104 metros de largura formando uma neblina que cobre a palafita “Recanto dos Tangarás” onde esta ligada á margem do rio por uma passarela. Dali o turista pode apreciar e sentir o Salto das Nuvens, um local paradisíaco, o ambiente rústico e confortável, apego a natureza com uma das mais belas cachoeiras de todo o Centro-Oeste do Brasil. E aliado a todas as maravilhas naturais aqui encontradas, dispomos de toda a estrutura para que a sua visita seja inesquecível assim como tudo que vale a pena viver.
João Alves

João Alves

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.