Últimas Notícias
recent

Chapolin completa 45 anos

"Sigam-me os bons" e "não contavam com minha astúcia" são frases que você certamente já ouviu na TV. Os bordões são de Chapolin Colorado, um dos poucos heróis latino-americanos, que completa 45 anos de sua primeira exibição na TV.
Roberto Gómez Bolaños como Chapolin; herói completa 45 anos nesta quinta

Criação do comediante mexicano Roberto Gómez Bolaños (1929-2014), o herói atrapalhado, medroso e mulherengo surgiu dois anos antes da série mais famosa do humorista, "Chaves".
A data de estreia de "Chapolin" foi descoberta por fãs que compram guias de programação de TVs mexicanas dos anos 1970. Somente assim foi possível saber quando foi ao ar o primeiro episódio do herói, já que Televisa e SBT informam apenas o ano de lançamento (1970).
"Chapolin" começou como um quadro do programa "Los Supergenios de la Mesa Cuadrada", inédito no Brasil. Apesar do figurino e cenário toscos, o programa elevou a audiência da TIM (Televisión Independiente de México) e ganhou horário próprio em 1973, com episódios de 30 minutos, assim como "Chaves", quando a emissora uniu-se ao Telesistema Mexicano, formando a rede Televisa.
No Brasil, "Chapolin" (também chamado por aqui de Polegar Vermelho) e "Chaves" estrearam no SBT em agosto de 1984. Atualmente, o herói está fora do ar. No México, a Televisa produziu 48 episódios da primeira temporada do desenho animado "El Chapulín Colorado".
Sabia que Chapolin Colorado quase foi verde? E que "chapolin" é um inseto comestível no México? O herói também já insinuou que era filho de Lois Lane, a amada de Clark Kent (Super-Homem). O UOL lista dez curiosidades sobre o personagem e a série:

Reprodução
Reprodução

Chapolin é comestível

"Chapulín" (nome original do herói) é uma espécie de gafanhoto muito apreciada pelos mexicanos, que comem o inseto frito ou refogado em diversos pratos. Roberto Gómez Bolaños teve a ideia de representar o personagem como um ser pequeno e quase inofensivo, o que Chapolin costuma aparentar nos episódios. Fraco, o herói assume ser medroso, porém enfrenta seus medos e muitas vezes consegue superá-los.
Montagem/UOL
Montagem/UOL

Chapolin "verde"

O Chapolin Colorado, quem diria, quase foi verde. Bolaños criou o herói como "Chapolin Justiceiro" e queria que o uniforme dele fosse esverdeado. Entretanto, encontrou na emissora mexicana onde trabalhava tecidos de apenas quatro cores. Preto (muito fúnebre), branco (prejudicaria a iluminação), azul (impróprio para os "defeitos" especiais criados no chroma-key) e vermelho, que acabou sendo a opção escolhida.
Reprodução
Reprodução

Chapolin substituiu piadas "incorretas"

Bolaños criou Chapolin após ter eliminado o programa "La Mesa Cuadrada", em que um professor, um médico e um bêbado tiravam sarro de temas da atualidade, com trocadilhos e piadas "politicamente incorretas", como os programas brasileiros "Casseta & Planeta" e "CQC". Uma brincadeira com o cineasta Emilio Fernández foi a gota d'água para o comediante, que diminuiu cada vez mais o tempo do humorístico e aumentou o de Chapolin.
Reprodução
Reprodução

Pioneiro no exterior

"El Chapulín Colorado" foi um dos primeiros programas mexicanos exportados para o resto do mundo e abriu as portas para outros produtos locais, como as famosas telenovelas. O herói, ao lado de "Chaves", foi exibido em mais de 100 países e traduzido para mais de 50 idiomas. Ainda é transmitido em dezenas de países da América Latina, mas atualmente está fora do ar no Brasil.
Reprodução
Reprodução

Rivalidade com heróis americanos

Patriota, Chapolin defende que seus protegidos não precisam de "heróis importados", em referência a Super-Homem e outros personagens norte-americanos. Por ser atrapalhado, entretanto, é zombado por quem o chama para pedir socorro. Ele já ouviu de uma vítima que teria sido melhor chamar Batman. Chapolin respondeu insinuando a sexualidade do "rival": "Em primeiro lugar, Batman não está porque está em lua de mel com Robin".
Reprodução
Reprodução

Chapolin e a Guerra Fria

Bolaños costumava relembrar acontecimentos e personagens históricos em seus programas, como a queda de Napoleão Bonaparte, a história de Cleópatra e a Guerra de Secessão. Em um episódio inédito no Brasil, um soviético quer obrigar uma camponesa a se casar com ele. A moça chama por Chapolin, mas quem aparece é Super Sam (Ramón Valdés), sátira ao Tio Sam norte-americano. A disputa dos dois foi ao ar em 1973, em plena Guerra Fria.
Reprodução
Reprodução

Ferimento real antecipou fim

Bolaños decidiu terminar com Chapolin em 1979 após se machucar de verdade em uma cena em que atrapalhava uma construção e cortou o supercílio ao tropeçar em uma parte do cenário. Nos episódios seguintes, usou um tapa-olho igual ao de um pirata para esconder os pontos no rosto. O comediante, na época com 50 anos, achou arriscado continuar interpretando o super-herói e decidiu encerrar o programa.
Reprodução
Reprodução

Despedida? Nem tanto

Semanas após o acidente, Bolaños gravou o episódio de despedida de Chapolin, em que relembra momentos da série com os atores interpretando eles mesmos. No final, Bolaños, vestido de Chapolin, agradeceu à equipe técnica e todo o elenco, inclusive Carlos Villagrán e Ramón Valdés, que tinham deixado o programa. Apesar de ter anunciado o fim do personagem, Bolaños voltou a gravar em 1980, dentro do programa "Chespirito", até 1992.
Reprodução/SBT
Reprodução/SBT

Filho de Lois Lane?

Em um episódio de 1989, o herói revelou a origem de seu nome. "Chapolin" veio do padrinho, que estudava insetos (chapolin, como já foi dito, é um gafanhoto). "Colorado" é o sobrenome de seu pai. Já o sobrenome da mãe é, segundo Chapolin, Lane. Perguntado se era o mesmo de Lois, Chapolin deu a entender que era filho da namorada de Clark Kent, o Super-Homem.
Reprodução
Reprodução

Em Marte antes de Matt Damon

Antes de Matt Damon viajar pelo espaço em "Perdido em Marte", Chapolin Colorado já tinha visitado o planeta vizinho em 1981, dentro do programa "Chespirito". Na história, o herói ajudou dois astronautas a se comunicarem com a Terra. No Brasil, o SBT transformou os dois episódios especiais em filme, "Aventuras em Marte", com raríssima
João Alves

João Alves

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.