Últimas Notícias
recent

Novelas, divas e "Power Rangers" batizaram brasileiros nos anos 2000


O portal "Nomes do Brasil", lançado na última quarta (27) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), mostra os nomes mais populares e a criatividade para batizar os bebês até anos 2000, resultado do censo de 2010. Personagens de novelas, divas da música pop, "Harry Potter" e até "Power Rangers" inspiraram pais na hora de escolher o nome dos filhos.

Segundo o IBGE, no Brasil existem cerca de 200 milhões de brasileiros e mais de 130 mil nomes diferentes. "Cauã", por exemplo, cresceu 3900% nos anos 2000, com 83.253 nascimentos e nítida inspiração do ator Cauã Reymond, galã da Globo.

Ainda sobre a Globo, as mocinhas das novelas da emissora ajudaram os pais a batizar os filhos. Nos anos 2000, nasceram 5.983 "Jades", personagem de Giovanna Antonelli em "O Clone" (2001). Também da trama de Gloria Perez, "Radija" (livre inspiração em Khadija, interpretada por Carla Diaz e conhecida pelo bordão "Inshallah") é nome de 1.234 pessoas.

Outros nomes chamam atenção não pela quantidade, e sim pelo crescimento na última década. Sol (Deborah Secco), protagonista de "América" (2005), triplicou na última década, com 266 nascimentos. Serena (Priscila Fantin), de "Alma Gêmea" (2005), batizou 607 bebês (aumento de 387%).

Par romântico de "Caminho das Índias" (2009), Raj e Maya eram nomes raros no Brasil até os anos 2000, quando nasceram 58 "Rajs" e 146 "Mayas".


Inspiração mexicana

Até os dramalhões mexicanos nomearam crianças nos anos 2000. Seguindo a tendência da década de 1990, quando "Maria do Bairro" explodiu no SBT, sua protagonista, Thalia, é nome de 5.520 crianças nascidas nos anos 2000. Já a adaptação "Talia" tem ainda mais nascimentos: 14.641.

Das novelas mexicanas mais atuais, "Esmeralda" teve um aumento de 576% entre os anos 1990 e 2000, com 2.698 nascimentos. "Rubi" mais que triplicou (de 58 para 216 bebês).

A trama teen "Rebelde" também inspirou os pais. Na última década, nasceram 160 pessoas com o mesmo nome da atriz protagonista, Anahí, e 60 com o nome de sua personagem, Mia.

Aisha, de "Power Rangers", batizou 1.298 meninas nos anos 2000

De "Harry Potter" a "Power Rangers"

Se nos anos 1980 nasceram 32 "Jaspions", as décadas seguintes tiveram o crescimento de outros fenômenos infanto-juvenis: "Power Rangers", "Harry Potter" e "Os Cavaleiros do Zodíaco". Kimberly, a ranger rosa, batizou 2.972 bebês no Brasil. Aisha, a ranger amarela, é nome de 1.298 crianças. Também existem 94 meninas chamadas "Saori", a deusa de "Cavaleiros", anime exibido pela extinta Manchete, Cartoon Network e Band.

O número de meninos chamados "Harry" no Brasil quase dobrou entre os anos 1990 e 2000. De 100, passou para 194 na década em que a saga "Harry Potter", da escritora J. K. Rowling, fez sucesso por aqui. Outra personagem da série de livros e filmes, "Hermione", interpretada no cinema por Emma Watson, batizou 55 garotas.

Rihanna, ou melhor, "Riana" é o nome de 2.891 meninas nos anos 2000

"Riana" e "Britnei": as divas brasileiras

Nos anos 1980 e 1990, existiam no Brasil centenas de "Madonas" e "Michaels", inspirados em Madonna e Michael Jackson. Na década de 2000, o reinado do pop mudou, segundo diz a pesquisa do IBGE, para Rihanna, Britney Spears e os Backstreet Boys. Curiosamente, nenhuma "Beyoncé" foi registrada no período.

Rihanna, que explodiu em 2007 com o hit "Umbrella", é nome de 386 pessoas. É pouco? Se abrasileirarmos para "Riana", a pesquisa mostra um crescimento extraordinário, com 2.891 bebês. Na última década, nasceram 160 "Britneys" e 21 "Britneis", 174 "Shakiras" e 153 "Rickys" (nome do cantor Ricky Martin).

Também nos anos 2000, nasceram 132 meninos chamados "Justin", provavelmente inspirados em Justin Timberlake (Bieber começou a fazer sucesso em 2010, ano da pesquisa). Os Backstreet Boys, que batizaram milhares de garotos na década de 1990, continuaram na seguinte, com 8.396 "Brians", 24.275 "Kevins" e 303 "Nicks".

Por exemplo, se colocarmos na busca o deus da mitologia nórdica Thor --mais conhecido como um super-herói dos quadrinhos e também nome de um dos filhos do ex-bilionário Eike Batista-- aparecem 405 homônimos. O Estado com mais Thors é São Paulo, com 100, seguindo do Rio de Janeiro, com 84. Na área "nomes similares", ficamos sabendo que existem no Brasil os "quase xarás" To e Tor (?).

Aliás, o próprio nome Eike é mais popular do que pode-se imaginar: existem atualmente 703 no país inteiro, sendo que o auge da popularidade do nome foi no Censo 2000, quando foram registrados 558 Eikes. Na época, o magnata Eike Batista ainda era casado com a modelo Luma de Oliveira e estava longe dos problemas que fizeram sua fortuna despencar nos últimos anos.

Uma busca por "Jonlenon" apresenta 61 pessoas. Sim, é uma corruptela de John Lennon, o ex-Beatle morto em 1980. Nos nomes familiares há "Jhonlennon", "Jhonlenon" e "Johnlennon"; este último estaria quase fiel ao "original" se não estivéssemos falando de um nome e sobrenome que foram unidos em uma coisa só. Na mesma lógica temos no país 349 pessoas chamadas "Valdisnei", que pode ser lido como um abrasileiramento de Walt Disney, o fundador do lendário estúdio de animação.

FONTE: Uol/TV e Famosos
João Alves

João Alves

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.