Últimas Notícias
recent

Temperos caseiros são mais gostosos e saudáveis: conheça receitas fáceis


A falta de tempo é uma das razões para recorrer aos temperos prontos. Mas também é possível fazer, em casa, misturinhas práticas, com ingredientes naturais, incluindo ervas frescas. Elas ficam prontas em minutos e entregam muito mais sabor.

"Os temperos de saquinho ou de caixinha são compostos artificiais, que tentam imitar o verdadeiro gosto do alimento", afirma o chef Rafael Machado. O caldo de carne, por exemplo, não leva nada de carne, apenas compostos químicos e uma grande quantidade de sal.

Já os temperos caseiros, além de preservarem o sabor real de cada ingrediente, ainda preservam a saúde. E o melhor: podem ser feitos em instantes e acondicionados na geladeira ou freezer, para facilitar o seu dia a dia. Saiba, passo a passo, como preparar os seus.

A escolha dos ingredientes

Quanto mais frescos, mais saborosos serão os seus temperos. "O ideal é comprar ervas direto do produtor. Ter uma mini-horta também é uma boa pedida", afirma a chef Priscilla Herrera. Na hora de comprar, é essencial observar se o aroma dos ingredientes que vai usar ainda está bem acentuado e, no caso das ervas, se as folhas estão bem firmes.


O armazenamento

Em casa, é preciso lavar e secar as ervas antes de guardar, para que durem mais. "Deixe-as em uma peneira por alguns minutos, para drenar a água. Depois, envolva as ervas frescas no papel toalha e guarde em potes plásticos tampados, na geladeira. Assim, elas vão durar, em média, de quatro a seis dias", afirma Priscilla. Sálvia, alecrim, manjericão e tomilho, por exemplo, podem ser acondicionados dessa forma. Em geral, quanto mais frescas as ervas, mais aroma elas terão. Quanto mais secas, mais o sabor ficará concentrado. Para quem não cozinha muito em casa, a dica é higienizar, secar, picar e guardar as ervas em potes de vidro, no freezer ou no congelador, para usar em até três meses.


Na hora de temperar

Não basta preparar um tempero delicioso, é preciso saber como utilizá-lo. Nos legumes, o ideal é misturar antes de servir. "O legume, quando ainda está quente, absorve muito melhor o sabor", diz o chef Rafael Machado. 

Peixes pegam o tempero mais rápido, enquanto peças de frango são mais resistentes. No entanto, mesmo os cortes de frango ou carne não podem ficar por muito tempo marinando, especialmente se há sal ou limão no tempero. "Nesse caso, o ideal é não deixar ultrapassar os 30 minutos. A partir desse período, a carne começa a perder suculência e nutrientes", afirma a chef funcional Lidiane Barbosa.

Para realçar o sabor da carne vermelha

Segundo a chef Lidiane Barbosa, sal, pimenta-do-reino, vinho tinto, páprica picante, gengibre, alho e cebola realçam bem o sabor das carnes bovinas. Para as refeições do dia a dia, ela indica uma receita prática, que leva 1 cebola, 2 dentes de alho, 5 colheres (sopa) de azeite de oliva extravirgem, 1 rodela de gengibre, 1 colher (chá) de pimenta-do-reino e 1 xícara (chá) de sal marinho moído. "Basta processar todos os ingredientes e envolver a carne com o tempero, deixando marinar por até 30 minutos", diz Lidiane. A sobra você pode guardar na geladeira, em potes de vidro, por até 30 dias.


Para dar mais aroma e sabor ao frango

Curry, mostarda em grãos, tomilho, orégano, alecrim e limão podem ser usados nesse tipo de carne, sem medo de errar. A receita da chef funcional Lidiane Barbosa leva ½ xícara (chá) de sal marinho moído ou não refinado, 5 colheres (sopa) de curry, 5 colheres (sopa) de tomilho fresco e 5 colheres (sopa) de orégano seco. "Depois de processar os ingredientes, deixe marinar por, no máximo, 30 minutos", afirma a chef. Guarde o que sobrar em potes de vidro, em temperatura ambiente. "Dessa forma, por causa do sal, o tempero vai durar cerca de três meses", conta Lidiane.


Para deixar o peixe mais saboroso

Peixes têm seu sabor realçado quando combinados a ingredientes como açafrão, alho poró, dill (ou funcho), pimenta-do-reino, tomilho e limão. Um tempero prático, que vai bem com todo tipo de peixe, pode ser preparado com 1 xícara de sal marinho moído ou não refinado, 1 xícara de dill (ou funcho) seco e 1 colher (chá) de pimenta do reino. "Processe todos os ingredientes e deixe marinar por até 30 minutos, assim como as outras carnes. O tempero vai durar três meses se armazenado em pote de vidro, sem umidade, em temperatura ambiente", afirma a chef Lidiane.


Para surpreender ao servir legumes

Com um pouquinho de manteiga, é possível fazer uma base coringa, que pode ser misturada aos legumes ainda quentes, para temperá-los. "Pode-se misturar a manteiga a uma pastinha de alho, pitadas de sal e de pimenta, além de cebola picada. Esse tempero pode ser guardado na geladeira por até uma semana", diz o chef Rafael Machado. Já ervas frescas, como alecrim, estragão, segurelha, tomilho, capim-santo, hortelã, menta e coentro podem ser usadas com ou sem a manteiga, para transformar os legumes em um acompanhamento mais requintado. 

A chef funcional Lidiane Barbosa ensina um tempero rápido e prático para esse tipo de prato. Ele é feito com 1 xícara (chá) de gergelim torrado e ½ xícara (chá) de sal marinho moído ou não refinado. "Torre o gergelim em uma frigideira. Coloque o sal no liquidificador e, depois o gergelim. Bata até formar uma pasta e jogue por cima dos legumes, antes de cozinhá-los", ensina. Como trata-se de um tempero úmido, é possível guardar o que sobrar em geladeira por até 30 dias, em potes de vidro.


Outras opções

Diversos temperos podem ser preparados e acondicionados dentro ou fora da geladeira, para facilitar a rotina. O azeite aromatizado é um exemplo. Ele pode ser feito com ervas como sálvia, louro, coentro, manjericão, jambu, estragão ou tomilho. Basta usar 1 maço de aproximadamente 50 g de ervas secas e 1 xícara (chá) de azeite de oliva. "Em uma panela, coloque o azeite de oliva, em fogo baixo, junto com as ervas escolhidas. Quando começar a levantar fervura, desligue e tampe a panela. Espere esfriar, peneire as ervas e acondicione em um vidro próprio", ensina a chef Priscilla Herrera. 

O azeite aromatizado também pode ser congelado em forminhas. Nesse caso, basta picar ou bater no liquidificador as ervas frescas de sua preferência e ajeitá-las no fundo de uma fôrma de gelo. Depois, é só completar com azeite, antes de levar ao congelador. 

Outra opção é preparar um pesto de ervas utilizando manjericão, salsinha, salvia, alecrim e orégano fresco. Basta adicionar, para cada 200 ml de azeite, 1 colher (sopa) de vinagre de maçã e ½ limão espremido, além das ervas. A acidez do vinagre e do limão vão preservar a cor e o sabor do pesto.

FONTE: Uol/Saúde
João Alves

João Alves

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.